top of page

Pulmão - Parte 1 Desvendar a respiração

Atualizado: 9 de jan.

Pulmão - Parte 1




the lungs


Fisiologia e Complexidade do Sistema Respiratório


Os pulmões são elementos cruciais do sistema respiratório, desempenham um papel vital na oxigenação do corpo e na eliminação do dióxido de carbono.


Nesta primeira parte, exploramos em detalhe a anatomia complexa dos pulmões, desde a entrada de ar pelo nariz ou boca, a jornada pelos brônquios, bronquíolos e alvéolos.

Examina-se o papel crucial do diafragma e outros músculos no processo respiratório, reconhecendo a interdependência de diversos fatores para coordenar a respiração eficiente.


Além da fisiologia, abordamos os sistemas de defesa sofisticados dos pulmões, desde o papel filtrante do nariz, e ainda da tosse como resposta a irritantes bronquiais.


No entanto, o foco principal está na compreensão científica da respiração, reconhecendo-a como um processo essencial para o equilíbrio fisiológico do organismo.


Compreender a anatomia e a fisiologia dos pulmões é fundamental não apenas para apreciar a complexidade do processo, mas também para entender a importância de cuidar da saúde pulmonar para uma vida plena e vigorosa.



Fisiologia dos Pulmões e o Processo Respiratório


Os pulmões são órgãos vitais no sistema respiratório humano, responsáveis pela troca gasosa entre o organismo e o ambiente. A sua fisiologia é um processo complexo que envolve a entrada de ar, a distribuição pelos componentes do sistema respiratório e a troca de gases.



Os pulmões - a respiração
A respiração

Entrada de Ar:

  • A entrada de ar ocorre pelo nariz ou pela boca, onde é filtrado e umidificado. A escolha entre nariz e boca é influenciada pela demanda de oxigênio e as condições ambientais.


Traqueia e Brônquios Principais:

  • O ar limpo e umidificado passa pela traqueia e atinge os brônquios principais, que se dividem em brônquios menores chamados bronquíolos.


Alvéolos Pulmonares:

  • Os bronquíolos terminam nos alvéolos pulmonares, pequenas cavidades semelhantes a balões agrupadas como uvas.

  • Essas estruturas proporcionam uma vasta área para a eficiente troca de oxigênio e dióxido de carbono com os capilares sanguíneos.


Trocas Gasosas:

  • Nos alvéolos, o oxigênio passa para os capilares, onde se combina com a hemoglobina nos glóbulos vermelhos. Ao mesmo tempo, o dióxido de carbono, um produto residual do metabolismo, é libertado dos capilares para os alvéolos, para ser exalado.


Papel do Diafragma:

  • O diafragma, um músculo em forma de cúpula abaixo dos pulmões, desempenha um papel essencial na respiração.

  • Durante a inspiração, o diafragma contrai, aumentando o volume da cavidade toráxica pela expansão dos pulmões, que por sua vez cria uma pressão negativa facilitando a entrada de ar. Na expiração, o diafragma relaxa, reduzindo o volume da cavidade toráxica permitindo a saída do ar.

complexidade da respiração

A coordenação precisa entre os músculos respiratórios, incluindo diafragma e músculos intercostais, garante um ciclo contínuo de inspiração e expiração. Essa sequência intrincada é vital para fornecer oxigênio aos tecidos e eliminar os resíduos metabólicos, sustentando a função celular e, consequentemente, a vida.



exames de diagnostico

O diagnóstico de doenças pulmonares envolve vários exames para avaliar a função pulmonar, identificar problemas estruturais e diagnosticar condições específicas.

Entre os exames relevantes estão o Exame Clínico, Espirometria, Radiografia, TAC ao tórax, Análises Sanguíneas, Broncoscopia, Polissonografia, Testes de Alergia e Biópsia Pulmonar.


A realização de um diagnóstico adequado depende da integração dessas ferramentas de diagnóstico, do historial clínico do paciente e da experiência do profissional de saúde. O objetivo é identificar a causa subjacente dos sintomas respiratórios e orientar o tratamento adequado.


afeções pulmonares

Afeções Respiratórias Comuns:

  • Constipação Comum - Muitas vezes associada ao nariz e à garganta, os sintomas podem afetar as vias respiratórias superiores.

  • Rinite Alérgica - Inflamação do revestimento nasal devido a alergias, afetando a respiração nasal.

  • Sinusite - Inflamação dos seios paranasais, que pode impactar as vias respiratórias superiores e inferiores.

  • Bronquite Aguda - Inflamação dos brônquios, geralmente devido a infeções virais.

  • Bronquite Crónica - Inflamação constante dos brônquios, muitas vezes associada ao tabagismo.

  • Enfisema Pulmonar - Dano nos sacos de ar nos pulmões, resultando na perda da elasticidade pulmonar.

  • Fibrose Pulmonar - Cicatrização excessiva do tecido pulmonar, dificultando a respiração.

  • Pneumonia - Infeção nos pulmões geralmente causada por bactérias, vírus ou fungos.

  • Tuberculose - Infeção bacteriana que afeta os pulmões, podendo ser grave e contagiosa.

  • Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (DPOC) - Termo abrangente que inclui bronquite crónica e enfisema, caracterizado por obstrução do fluxo de ar.

  • Asma - Condição crónica que causa inflamação e estreitamento das vias aéreas.

  • Cancro do Pulmão - Crescimento descontrolado de células nos pulmões, frequentemente associado ao tabagismo.

  • Síndrome da Angústia Respiratória Aguda (SARA) - Condição grave que envolve dificuldades respiratórias extremas, muitas vezes relacionada a outras doenças.

  • Doença Pulmonar Intersticial (DPI) - Grupo de doenças pulmonares que afetam o tecido intersticial, causando cicatrizes.

  • Sarcoidose - Formação de granulomas nos pulmões, muitas vezes de origem desconhecida.

  • Edema Pulmonar - Acúmulo anormal de fluído nos pulmões, dificultando a respiração.

  • Hipertensão Pulmonar - Aumento da pressão nas artérias dos pulmões, colocando pressão adicional no coração.

É importante notar que alguns destes problemas são temporários e podem ser tratados com sucesso, enquanto outros requerem gestão a longo prazo e cuidados específicos.


Prevenção, diagnóstico precoce e tratamento adequado são fundamentais para manter a saúde pulmonar.


Estatísticas:



estatisticas pulmão

Segundo a ACSS, as mortes por pneumonia bacteriana também diminuíram e mantiveram-se as mortes por cancro do pulmão.


As mortes por doenças raras e crónicas como as pneumonias, tiveram uma diminuição, facto atribuído a diagnósticos mais assertivos e tratamentos mais eficazes.


A Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica teve o maior impacto nos internamentos em 2022, com 73% dos utentes hospitalizados e em ventilação devido a esta doença.

A fibrose pulmonar e a asma brônquica têm apresentado aumentos nos internamentos e no número de mortes entre os anos de 2018 e 2022.



Referências:

26 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page